POR QUE O DESEJO SEXUAL DIMINUI COM A CHEGADA DO FILHO?

POR QUE O DESEJO SEXUAL DIMINUI COM A CHEGADA DO FILHO?

Os cuidados com o bebê, principalmente nos primeiros seis meses de vida, ainda sobrecarrega as mulheres. Claro que isso varia de cultura para cultura. Mas mesmo com a maior  participação dos homens nos cuidados com os recém-nascidos, a amamentação já deixaria a balança desfavorável para as mulheres.
Uma criança saudável mama de 2 a 3 horas, troca fralda a cada uma hora e dorme pouco mais de duas horas durante estes intervalos. Estes fatores, aliados ao aspecto de haver uma concentração extrema nos cuidados com a  criança, levam muitos casais à exaustão e, consequentemente, à falta de libido.
Portanto, não sobra espaço (nem tempo) para o casal, principalmente a mulher, pensar em sexo. Enquanto há casais que lidam com esta realidade de forma mais serena, cientes de que trata-se de uma fase e que, depois, poderá voltar a ter sexo no casamento, também há os casos extremos.
Casos extremos
A psicanálise aponta os problemas mais comuns que causam a  diminuição do desejo com a chegada do bebê. Nas mulheres, o prazer da amamentação sublimaria o desejo pelo sexo. No homem, o afastamento ocorre um pouco pelo ciúme do filho, por enxergar o bebê como um “culpado” pelo afastamento de sua parceira.
Para esses casos, deve-se procurar ajuda terapêutica. Mas mesmo que o casal não chegue aos extremos, é preciso ter a consciência que a vida sexual vai mudar. E não apenas nos primeiros meses do filho, mas para vida toda.
Com nova rotina, o sexo volta para casa
É muito comum as crianças mais crescidas querem dormir na cama dos pais e isso deve ser evitado. A mulher também tem uma tendência a reprimir seu prazer com receio de se distrair, caso o filho precise dela durante a noite.
Então, é preciso, primeiro de tudo, entender que este fenômeno de queda de frequência de relação sexual é comum e legítimo quando os filhos chegam. O que não pode é perdurar para toda a vida. É preciso criar novos hábitos para promover a intimidade do casal.
Definir horários para que os filhos durmam, acostumar-se a deixar as crianças com alguém de confiança (avós, tios, na casa de amiguinhos) e mantê-los dormindo em seus próprios quartos são algumas medidas simples, mas bastante eficazes para fazer deste afastamento sexual algo transitório e não definitivo.

Fonte: http://arevistadamulher.com.br/sexo/content/2447703-por-que-o-desejo-sexual-diminui-com-a-chegada-do-filho

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia mais